(...)

"Mas eu não quero ir ter com os loucos", observou Alice.
"Não tens alternativa". Retorquiu o Gato.
"Nós aqui somos todos loucos. Eu sou louco, tu és louca".
"Como é que sabes que eu sou louca?" perguntou Alice.
"Deves ser", disse o Gato, "ou não terias vindo até aqui".

20090127

Palavra

Expele-me!” Ordena autoritária.
A dissimulada…a maldita!
Arranhando-me a garganta
Com magnificas roupas doiradas
Que lhe escondem a feição horrífica...
Dançando com o silêncio,
Cai, lágrima seca em minha cara.
Aquietarás a minha dor?” pergunto,
E de sentidos erectos,
Caio inerte. Mudo...
Quero fornicar-te mas faltam-me as forças;
E como se d’uma reles puta se tratasse
Deixar-te usada sem dignidade.
Sussurra-me!” disse baixinho.
Sem pudor ou por piedade,
Pois, que voz seguirás se o vácuo do silêncio
Roubar de teus ouvidos essa gasta verdade?

2 comentários:

Jo disse...

"(...) que voz seguirás se o vácuo do silêncio/Roubar de teus ouvidos essa gasta verdade?"



Já paravas de me surpreender, não? *,P

preta disse...

Humm... não saberia escolher o preferido, mas este estaria lá (entre todos os outros sem excepção :P)

E mais inveja :)

Muitissimo ... bom! =)

preta**