(...)

"Mas eu não quero ir ter com os loucos", observou Alice.
"Não tens alternativa". Retorquiu o Gato.
"Nós aqui somos todos loucos. Eu sou louco, tu és louca".
"Como é que sabes que eu sou louca?" perguntou Alice.
"Deves ser", disse o Gato, "ou não terias vindo até aqui".

20080627

Decepção

Através de um involuntário desejo que me assentiu a minha profana consciência, coloquei uma amarga e desconsolada máscara naquela que era a mais angelical das faces...Não que a agora magoada expressão com que me fita através de delicadas gotas translúcidas que caem indiscriminadamente choradas pelas inalcançáveis nuvens negras, perplexas neste cenário melancolicamente cinzento, incite qualquer tipo de deleite à minha extasiada alma. Porém, tal como o impetuoso prazer de uma inocente criança desinquieta ao inexplicavelmente ser impelida a quebrar um harmonioso jarro de flores da sua progenitora, (ainda que saiba que é desacertado) assim é o prazer de que usufruo-o actualmente ao ter certeza que o desapontamento que lhe causei foi verdadeiramente genuíno. Não é decerto um sentimento, esse o da desilusão, que posturas mascaradas e amarelas de falsidade e logro possam delicadamente ocultar, como a noite sombria faz em prol do ladrão. Oh! Como a sua demonstração desse vil e mesquinho sentimento é docemente encaminhada até ao palato do meu coração! E quão grande é o meu deslumbramento!

Sórdidos são os teus intentos…
Eram…!

Ir-te-ei oferecer tantas decepções carmim quanto me forem toleradas. Ir-te-ei impregnar tamanha porção delas até a morte por desgosto se apoderar da tua reles alma desprovida de justiça. A justiça é cega e tu julgas somente com esses olhos que quimericamente me fitam, hipnotizam e entorpecem…

Sigo-te…quero-te…não…recupero a minha ténue força…

Eis o meu admirável espelho do egoísmo.

Agora que o viro para ti, que te obrigo a olhares fundo no teu gélido coração, julga, avalia e crê no que observas assombrada.

Não mais hipnotizarás.

Chora.

2 comentários:

Jo disse...

"Não é decerto um sentimento, esse o da desilusão, que posturas mascaradas e amarelas de falsidade e logro possam delicadamente ocultar, como a noite sombria faz em prol do ladrão."



Sinto necessidade de pegar nas tuas palavras, como se elas me dessem inspiração para o que vou dizer *,P eheh

Tal como já te disse, na minha opinião, os teus textos têm a sua força essencialmente no facto de prenderem a atenção do leitor, que se sente quase como que obrigado a ler até ao fim, como se a história e o sofrimento fossem os seus...


Pelo menos, isso acontece comigo. Sinto.me nos teus textos *,)



E isso só pode querer dizer coisas boas acerca da tua escrita **)

Lviz disse...

Este texto significa uma espécie de "corte" em relação a pessoas e situaçoes que julgávamos serem diferentes do que se apresentam...

Ainda bem que gostaste, pois não representa um sentimento "bonito"...