(...)

"Mas eu não quero ir ter com os loucos", observou Alice.
"Não tens alternativa". Retorquiu o Gato.
"Nós aqui somos todos loucos. Eu sou louco, tu és louca".
"Como é que sabes que eu sou louca?" perguntou Alice.
"Deves ser", disse o Gato, "ou não terias vindo até aqui".

20081023

sem-titulo2 (Lâminas)

 
Quase senti a sua pulsação,
Quase saboreei a sua falsa inocência...
Sim... Quase... Porém,
A lâmina que segurei não mostrou perdão!
Não o mereceu sua débil consciência...

...

Ela em meus braços...A lâmina em seu peito...
Ocupa agora tudo seu justo lugar.
Triste é seus olhos não mais contemplarem,
Pois pena será, não puder ver quão perfeito
Está hoje o cativo luar...

1 comentário:

Jo disse...

Na minha opinião, senão o melhor, um dos melhores poemas teus ... *,)


Perfeito.