(...)

"Mas eu não quero ir ter com os loucos", observou Alice.
"Não tens alternativa". Retorquiu o Gato.
"Nós aqui somos todos loucos. Eu sou louco, tu és louca".
"Como é que sabes que eu sou louca?" perguntou Alice.
"Deves ser", disse o Gato, "ou não terias vindo até aqui".

20090512

Àquele gato perto da estrada, déspota sofredor da inconsciência



(Tudo foi fastidiosamente igual,
Sentido através de teu coração de cal…)
Os tectos que vejo antes e durante
À consciência frontal desta ferida,
Foram enfadonhos e idênticos. Estanque
Fiquei perante a minha inércia concedida
Ao ar que respiro absorto.
…faz apenas com que sinta recusa.
Olho estático ao redor desse aborto,
Porque não sei se é difusa
A existência
Ou se será apenas confusa.
Absurdamente escolhida.
Quente e doce. Gemida.
E finalmente, tolhida.
Já nem ver a tua morte me dá “tusa”.
É igual. Vezes sem conta.
Tão igual, repetitiva e tonta.
Sem sentido aparente, destinada
Apenas a repetir-se
Mostrando-se apenas calçada repisada.
Sangue. Pisoteado, calcado e recalcado.
…esquecido.
Encostado a uma suja valeta imunda,
Ficarás, a partir de agora, descansado
Sem nunca saberes quão majestosamente profunda
Foi a tua ferida.

5 comentários:

Lviz disse...

Foto tirada por mim. As palavras vieram a seguir...

Se a morte é o que dá sentido à vida, então, o que é que dá sentido à morte?

Angelo Morgado disse...

"Se a morte é o que dá sentido à vida, então, o que é que dá sentido à morte?"



Não sentir medo de viver

Lviz disse...

Penso que então seria algo mais como "não ter medo de morrer". Mas isso também não responderia a essa questão... deixei essa frase no ar mais como objecto de reflexão do que como pergunta, pois penso que é mais uma daquelas coisas que nunca saberemos (visto que apesar de a "vida", a "morte" e o "sentido" serem factos, a criação dos seus conceito é de origem humana e por isso limitada)


mas concordo com o não ter medo de viver Ângelo =)

Francisca disse...

oh mano este poema está tao lindo , que nem tenho palavras para o descrever :')

ass: quica

Lviz disse...

....e para todos os que de alguma forma temem pelo bem-estar da Kira (a minha gata): não, não é ela na foto (felizmente!).
Tal como diz o titulo: "àquele gato à beira da estrada..."

=)